GOVERNANÇA CORPORATIVA, VALOR E DESEMPENHO ECONÔMICO: ESTUDO NAS MAIORES EMPRESAS DE CAPITAL ABERTO DA BM&BOVESPA

Renata da Silva Cunha, José Glauber Cavalcante dos Santos, Greyciane Passos dos Santos

Resumo


Esta investigação caracteriza a relação entre a governança corporativa, o valor e o desempenho econômico no grupo das maiores firmas de capital aberto do Brasil, no ano-base 2015. Por meio dos segmentos de listagem e grau de qualidade composto por 5 dimensões e 14 assertivas de respostas binárias, mensurou-se a governança corporativa. As variáveis de valor e desempenho foram mensuradas pelo (i) Q de Tobin; (ii) Retorno dos Ativos; (iii) Retorno do Patrimônio Líquido e (iv) Lucro por Ação. A amostra final de 81 empresas é resultante das 100 maiores firmas segundo a Revista Exame Melhores e Maiores de 2016. Os resultados apontaram relação positiva e significativa entre os segmentos de listagem e a variável Q de Tobin. Verificou-se ainda que não foi obtida relação significativa entre os segmentos de listagem e as variáveis de desempenho e que o grau de qualidade da governança também não obteve relação significante com o valor e desempenho dessas firmas. Conclui-se que a adesão aos níveis diferenciados de governança poderia contribuir para melhoria da avaliação das firmas perante o mercado, não possuindo o efeito similar no desempenho contábil. O estudo revela que algumas dimensões da governança podem ser importantes para a avaliação e o desempenho: estrutura de propriedade e controle, ambiente externo e a relação com investidores.

Palavras-chave


Assimetria Informacional. Conflito de Agência. Mercado de Capitais.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.31864/rcc.v5i2.2619