“A CULPA É SEMPRE DELAS ... SEMPRE”: DISCIPLINA E PODER NA CULPABILIZAÇÃO DA VÍTIMA DE ESTUPRO

Iza Maria Pereira, Alaíde Angélica de Menezes Cabral Carvalho

Resumo


Os casos de estupro no Brasil são antigos e recorrentes e os discursos sociais que os circundam continuam sendo preocupantes, pois giram, ainda e atualmente, em torno da culpabilização da mulher (vítima) de estupro. O objetivo desse trabalho é discutir os mecanismos agenciadores ou os fatores que fundamentam os discursos de culpabilização da mulher vítima de estupro. Para tanto, como aporte teórico utilizam-se aqui as concepções de poder, disciplina e controle de Foucault (2004, 2014), dialogando com os estudos feministas e culturais a partir das contribuições de Perrot (2007), Louro (1997), Tavares (2012). O corpus dessa pesquisa é composto por 10 (dez) comentários emitidos por internautas no site g1.globo.com sobre uma matéria veiculada do caso de estupro coletivo sofrido por uma mulher, no Bairro Lagoinha São Gonçalo, na Região Metropolitana do Rio de Janeiro.


Palavras-chave


Mulher. Estrupo. Discurso.

Texto completo:

PDF

Comentários sobre o artigo

Visualizar todos os comentários


A REVISTA ESTÁ INDEXADA EM:

      

Classificação Qualis/CAPES (Quadriênio 2013-2106):
B4 em Linguística e Literatura
B5 em Educação
B5 em Ensino