Recontextualização na mídia: uma análise linguístico-discursiva da divulgação científica nos sites G1 e Hypescience

Wilma Maria Pereira

Resumo


Um dado marcante no atual processo de circulação da informação procedente do âmbito científico na sociedade moderna é o tratamento dado às informações com o objetivo de alcançar um número cada vez maior de pessoas. Isso ocorre porque o enunciador que tenciona divulgar uma informação de caráter científico para o grande público deve buscar torná-la mais próxima do cotidiano das pessoas para que essa informação pareça relevante para suas vidas. Nesse sentido, é possível notar que, além das estratégias linguístico-discursivas, os textos de divulgação científica voltados à popularização da ciência têm feito uso de várias estratégias com o intuito de tornar as informações mais atrativas para seus leitores. O objetivo desse artigo é investigar a articulação entre as estratégias divulgativas e as técnicas argumentativas utilizadas no processo de recontextualização da informação a fim de verificar o seu funcionamento na construção do sentido dos textos divulgativos nas mídias on line G1 e HypeScience.  Para fins analíticos, foram adotados os pressupostos teórico-metodológicos da Análise do Discurso de Divulgação Científica e as técnicas argumentativas propostas por Olbrechts-Tyteca (1996). A análise apontou que o site G1 buscou divulgar a informação de forma mais objetiva e científica, ao passo que o site Hypescience lançou mão de modalizadores argumentativos com o intuito de orientar o leitor para determinada conclusão.

Palavras-chave


Divulgação Científica; Estratégias divulgativas; Mídia.

Texto completo:

PDF

Referências


CATALDI, C. A divulgação da ciência na mídia impressa: um enfoque discursivo. In: GOMES, M. C. A.; MELO, M. S. S.; CATALDI, C. (Orgs.) Gênero discursivo, mídia e identidade. Viçosa: UFV, 2007a, p. 155- 164.

__________. Análise discursiva da denominação utilizada na mídia impressa para representar e divulgar o conhecimento sobre planta transgênica.In: GOMES, M. C. A.; MELO, M. S. S.; CATALDI, C. (Orgs.) Gênero discursivo, mídia e identidade. Viçosa: UFV, 2007b, p. 193- 209.

__________. A ciência na mídia impressa: a divulgação debate sobre transgênico. In: GOMES, M. C. A.; MELO, M. S. S.; CATALDI, C. Práticas discursivas: construindo identidades na diversidade. Viçosa; UFV, 2009c, p. 43-63.

__________. A definição utilizada como estratégia divulgativa sobre transgênico na mídia impressa. Vertentes, São João del-Rei, v.1, n. 32, 2008.

CALSAMIGLIA, H. Divulgar: itinerários discursivos del saber. Uma necessidad, un problema, um hecho. Quark, Barcelona, Observatorio de la Comunicación Científica. Universitat Pompeu Fabra, n.7, p. 9-18, 1997.

CASSANY, D.; MARTÍ, J. Estrategias de divulgación de un concepto científico: el prión. Quark, Barcelona, Observatorio de la Comunicación Científica. Universitat Pompeu Fabra, n. 12, p.58- 66, 1998.

CIASPUSCIO, Guiomar. Linguística y divulgación de ciencia. Quark. Barcelona: Observatorio de la Comunicación Científica. Universitat Pompeu Fabra, n. 7, p. 19-28, 1997.

CORRÊA-ROSADO, L.C.; CATALDI, C. O conhecimento sobre feijão transgênico nas mídias Estadão online e O Globo online: analisando o processo de recontextualização sob o viés da análise do discurso da divulgação científica. Cadernos Discursivos, Catalão, v.1, n.1, p. 132-154, 2013.

DIAS, L. A recontextualização da informação sobre a “Pílula Anti-Barriga” nos sites Folha e Minha Vida. Gláuks, Viçosa, v. 10, n. 1, p. 243- 270, 2010.

FAHNESTOCK, J. Adaptação da ciência: a vida retórica dos fatos científicos. In. MASSARANI, L.; TURNEY, J.; MOREIRA, I. C. (Org.). Terra incógnita: a interface entre ciência e público. Rio de Janeiro: Vieira&Lent/Casa da Ciência, 2005.

GOMES, I.M. A. M. O texto e o discurso na revista Ciência Hoje. In: GOMES, M. C. A.; MELO, M. S. S.; CATALDI, C. (Orgs.) Gênero discursivo, mídia e identidade. Viçosa: UFV. 2007, p. 165-191.

OLIVEIRA, L. M.; CATALDI, C. S.P. A utilização de estratégias discursivas pela revista Veja: ferramenta do processo de recontextualização do conhecimento científico ou tática de parcialidade e de debate social? Revista Linguasagem, São Carlos, v. 15, p.1-15, 2013.

DIAS, L. A recontextualização da informação sobre a “Pílula Anti-Barriga” nos sites Folha e Minha Vida. Gláuks, Viçosa, v. 10, n. 1, p. 243- 270, 2010.

PERELMAN, C. Tratado da argumentação: a nova retórica. São Paulo: Martins Fontes, 1996.

VAN DIJK, T.A. Por uma teoria da comunicação científica. In: GOMES, M.C.A.; PAES, C.C. dos Santos; MELO, M.S.de Souza. Estudos discursivos em foco: Práticas de pesquisa sob múltiplos olhares. Viçosa: UFV, p. 19-38, 2011.




DOI: https://doi.org/10.22297/dl.v4i1.1364

 
 
 
Revista Diálogo das Letras (ISSN 2316-1795). Grupo de Pesquisa em Produção e Ensino do Texto. Universidade do Estado do Rio Grande do Norte. Pau dos Ferros. Rio Grande do Norte.
 
 
Indexada em:
 
 
Associada à Associação Brasileira de Editores Científicos - ABEC:
 
 
Registrada no CrossRef:
 
 
Classificação Qualis/CAPES (Quadriênio 2013-2106):
B1 em Linguística e Literatura
B1 em Educação
B1 em Ensino
B2 em Interdisciplinar
B4 Ciência Política e Relações Internacionais