Forma escolar, trabalho docente e produção textual: novas configurações

Heloisa Gonçalves Jordão, Sandoval Nonato

Resumo


Com o intuito de situar historicamente as práticas de produção de texto em contextos formais de ensino, consideraremos as relações entre a forma escolar e a língua escrita partindo de duas abordagens teóricas: i) as reflexões feitas sobre a origem da forma escolar, suas relações com a língua escrita e os modos como se institui uma relação escritural-escolar da linguagem com os saberes historicamente construídos pela humanidade (VINCENT; LAHIRE; THIN, 2001) e ii) o redesenho da forma escolar a partir das últimas décadas do século XX em decorrência de um novo cenário social delineado e dos novos modos de pensar o ensino da produção escrita (TARDIF; BORGÈS, 2009). Para compreendermos as transformações na relação didática das práticas escolares da atualidade convocamos a teoria do trabalho docente que evidencia os modos como o professor organiza a interação dos alunos com o saber, destacando como unidades relevantes de análise o uso de instrumentos e gestos didáticos (SCHNEUWLY, 2009). Por fim, apresentamos os dados gerados no desenvolvimento de uma atividade de produção de textos em um Laboratório de Informática Educativa de uma escola municipal. Os resultados apontam para mudanças nos modos como ocorre a interação entre professores e alunos no interior do desenvolvimento da atividade em decorrência da organização espacial diferenciada e pelo uso de computadores interconectados. O gesto didático da regulação local ganha relevo no trabalho das duas professoras acompanhadas, despontando como principal gesto de articulação do trabalho de ensino para gerenciar os diferentes níveis de aprendizagem em relação à língua escrita.

Palavras-chave


Língua Escrita; Produção de Texto; Trabalho Docente.

Texto completo:

PDF

Referências


AEBY DAGHÉ, S. La figure de l’autre dans les regulations locales. In: SCHNEUWLY, B. ; DOLZ, J. (Orgs). Des objets enseignés en classe de français. Rennes: Presses Universitaires de Rennes, 2009, p. 175-184.

CHEVALLARD, Y. La transposition didactique: du savoir savant au savoir enseigné. Paris: La Penseé Sauvage, 1991 [1985].

GERALDI, J. W. Portos de Passagem. 4. ed. São Paulo. Martins fontes, 2002.

JORDÃO, H. G. Interação e linguagem em sala de aula - entre o didático e o institucional. In: GONÇALVES-SEGUNDO, P. R. (Org.). Texto, discurso e multimodalidade: perspectivas atuais. 1 ed. São Paulo: Editora Paulistana, 2017, v. 1, p. 213-228.

JORRO, A. L'inscription des gestes professionnels dans l'action. Revue En question, p.19 -29, 1998.

KLEIMAN, A. Os significados do letramento. Campinas. Mercado de Letras. 1995.

MARCUSCHI, L. A. Exercícios de compreensão ou copiação nos manuais de ensino de língua? Em aberto, n. 16, p. 63 – 82, 1996.

MORTATTI, M. R. L. Educação e letramento. São Paulo: UNESP, 2004.

PRETI, D. Análise de textos orais. 6. ed. São Paulo: Humanitas. 2003.

ROJO, R. Letramentos múltiplos, escola e inclusão social. São Paulo: Parábola Editorial, 2009.

______. Entre plataformas, odas e protótipos: novos multiletramentos em tempos de web2. The especialist: descrição, ensino e aprendizagem, v. 38, n. 1, p. 1- 20, jan-jul. 2017.

SCHNEUWLY, B. Le travail enseignant. In: SCHNEUWLY, B.; DOLZ, J. (Orgs). Des objets enseignés en classe de français – Le travail de l’enseignant sur la rédaction de textes argumentatifs et sur la subordonnée relative. Rennes, FR :Presses Universitaires de Rennes, 2009, p. 29–43.

TARDIF, M.; BORGÈS, C. Transformations de l'enseignement et travail partagé. Les Sciences de l'éducation - Pour l'Ère nouvelle, v. 42, 2009, p. 83-100.

VINCENT, G.; LAHIRE, B.; THIN, D. Sobre a história e a teoria da forma escolar. Educação em revista, Belo Horizonte, n. 33, 2001, p. 7–47.




DOI: https://doi.org/10.22297/dl.v7i3.3336

 
 
 
Revista Diálogo das Letras (ISSN 2316-1795). Grupo de Pesquisa em Produção e Ensino do Texto. Universidade do Estado do Rio Grande do Norte. Pau dos Ferros. Rio Grande do Norte.
 
 
Indexada em:
 
 
Associada à Associação Brasileira de Editores Científicos - ABEC:
 
 
Registrada no CrossRef:
 
 
Classificação Qualis/CAPES (Quadriênio 2013-2106):
B1 em Linguística e Literatura
B1 em Educação
B1 em Ensino
B2 em Interdisciplinar
B4 Ciência Política e Relações Internacionais