Revista Expressão, Vol. 1, No 41 (2010)

Tamanho da fonte:  Menor  Médio  Maior

A GRAMATICALIZAÇÃO DOS GÊNEROS NA ESCOLA: UM OLHAR SOBRE O SCRAP DO ORKUT*

Vicente Lima Neto

Resumo


Este trabalho tem o objetivo de analisar o scrap como gênero digital que pode se constituir de misturas de gêneros, e relacioná-lo ao ensino dos gêneros nas escolas, que os veem apenas como formas linguísticas limitadas a uma determinada estrutura composicional. Para tanto, utilizamo-nos dos conceitos de gênero de Bakhtin (1997), Swales (1990) e Marcuschi (2000), os quais focalizam o caráter maleável e dinâmico dos gêneros. Com base em um mapeamento que fizemos dos padrões genéricos que aparecem no espaço destinado à escrita de recados no Orkut, verificamos que o scrap pode se constituir de forma híbrida, o que possibilita mostrar quão maleável ele o é. Além disso, baseamo-nos em dois livros didáticos que trabalham com a disciplina de Redação, os quais serviram como modelo para explanar o que é ensinado na escola sobre gêneros. Os resultados encontrados nos mostram que a realidade empírica dos gêneros difere do que é exposto aos alunos nas escolas, deixando-lhes alheios à riqueza cultural propiciada pelo conhecimento do real funcionamento dos gêneros.

Texto Completo: PDF