MEMORIAIS ACADÊMICOS: PERCEPÇÕES SOBRE A PROFISSÃO DOCENTE

Maria Euzimar Berenice Rêgo Silva, Disneylândia Maria Ribeiro, Débora Maria do Nascimento, Jhonnys Ferreira do Nascimento

Resumo


O presente estudo é fruto de uma das atividades desenvolvidas pelo Projeto de Extensão Universitária “Diálogos autobiográficos: trilhas de formação dos/as educadores/as serranos – IV ETAPA”, que possui como objetivo realizar uma ação formativa para docentes da Educação Básica e discentes de licenciaturas dos municípios serranos pertencentes ao Alto-Oeste Potiguar: Doutor Severiano, Luís Gomes, Portalegre e São Miguel; de forma a contribuir com o aprofundamento teórico e prático em torno das temáticas: formação, pesquisa, memória/autobiografia, campo/rural, sexualidade e relações de gênero no contexto educacional, a partir de narrativas orais e escritas dos/as participantes. Nessa produção, detemo-nos na análise dos memoriais do Programa de Formação Profissional para a Educação Básica (PROFORMAÇÃO), curso ofertado pelo Campus Avançado Profa. Maria Elisa de Albuquerque Maia (CAMEAM). Assim, selecionamos dez memoriais do município de Doutor Severiano e, como critério de escolha, definimos as categorias: gênero (mulheres); destas escolhemos as que possuíam alguma experiência docente em escolas rurais; e, por último, o tempo de serviço na profissão. No decorrer da análise, buscamos compreender os fatores que levaram estas mulheres à profissão e suas percepções sobre a docência. Como fundamentação teórica, utilizamos as discussões de Brzezinski (2002), Bueno (2005), Josso (2007), Nóvoa (2007; 2008), Passeggi (2006a; 2006b; 2006c) e de Pineau (2005). Observamos, no decorrer da investigação, que as percepções das educadoras, acerca da profissão docente, estão alicerçadas no conceito de missão e vocação e que, segundo elas, a falta de opção foi o principal motivo para escolha da docência.

Texto completo:

PDF


Revista Extendere - ISSN 2318-2350