Revista Geotemas, Vol. 6, No 2 (6)

Tamanho da fonte:  Menor  Médio  Maior

ESPAÇO, TERRITÓRIO E VIOLÊNCIA EM TEMPOS DE GLOBALIZAÇÃO

Jean Henrique Costa, Thadeu de Sousa Brandão

Resumo


Este ensaio busca tecer uma compreensão do fenômeno da violência estrutural a partir do aumento das contradições socioespaciais decorrentes do modelo de globalização adotado nas últimas décadas. O texto discute algumas das novas morfologias da exclusão que se impõem via lógica da globalização, percebendo o espaço construído através da racionalidade global enquanto um sistema de objetos cada vez mais artificiais e, ao mesmo tempo, a partir de ações igualmente artificiais e estranhas ao lugar e seus habitantes. O desfecho do processo se dá pela lógica atual de uma construção socioespacial que enseja substanciais espaços sociais da exclusão, onde miríades de indivíduos – sem perspectivas de ingressar no mercado de trabalho formal nem nos padrões de consumo mínimo exigidos pelo modo de produção capitalista – são jogados em guetos sociais (desde áreas periféricas até prisões). Podemos afirmar, que a globalização, em suas consequências, é geradora de violência, na medida em que exclui sistematicamente milhões de indivíduos de uma vida digna e na medida em que gera estruturalmente outras formas plurais de exclusões. Metodologicamente, a globalização sozinha não pode ser tomada como único fator desencadeador dessas questões. A violência, em sua complexidade, deve ser abordada também levando-se em consideração fatores como a cultura, a economia e as relações sociais e políticas. Mas, sem perder de vista a espacialização e a territorialidade da mesma: papel basilar da ciência geográfica.

Texto Completo: PDF