A ORIGEM DO LATIFÚNDIO E AS CONSEQUÊNCIAS DE SUA CONSOLIDAÇÃO

José Ismael da Silva, Josefa Eliane de Aquino, Cícero Nilton Moreira da Silva

Resumo


A estrutura fundiária brasileira é fruto de nossa submissão a Coroa Portuguesa. No entanto, sua consolidação se deu nos períodos subsequentes com a Lei de Terras de 1850 e o poder das oligarquias rurais. Estas jamais permitiram a realização de uma reforma agrária autêntica. Pautados em leituras bibliográficas procuramos nesse texto ressaltar como se deu a origem do latifúndio no Brasil, destacando as consequências advindas de sua consolidação. O objetivo é mostrar como se deu a formação da estrutura fundiária injusta e desigual e como vivem aqueles que são donos das terras e produzem para o capitalismo, bem como aqueles que dependem dos donos das terras. Os que veem a terra apenas como uma mercadoria, produzindo para suprir as necessidades do capital, e para isso expropriam o pequeno proprietário de suas terras; terras estas que para eles é mais que uma simples mercadoria, é a sua vida. Como não tem forças para lutar contra essa força, em muitos casos sua única opção é tornar-se um trabalhador daquele que o expropriou ou migrar para a cidade em busca de melhores condições. Aqueles que resistem e decidem lutar pela extinção do latifúndio, mais precisamente pela reforma agrária, ainda são reprimidos com violência. Enfim, o que percebemos é que o latifúndio é um mal que necessita ser sanado da sociedade. O mesmo o latifúndio deve ser combatido para que possamos contar com uma estrutura fundiária em que o pequeno proprietário também possa dispor de terras para produzir e viver de maneira digna

Texto completo:

Pdf


DOI: https://doi.org/10.33237/geotemas.v4i1.1206

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

Indexadores e Bases Bibliográficas









Conteúdo Registrado (DOI)




Revista Associada


Apoio





Acessos