DESENVOLVIMENTO E URBANIZAÇÃO: A REDE URBANA POTIGUAR SOB A ÓTICA DOS ‘REGICS’

Joseney Rodrigues de Queiroz Dantas, Maria do Livramento Miranda Clementino

Resumo


Este artigo trata da relação entre desenvolvimento e urbanização na conformação da rede urbana nordestina, mais especificamente, na hierarquização da rede urbana potiguar. Os parâmetros utilizados para a hierarquização da rede urbana foram os do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), especialmente as quatro edições de ‘Regiões de Influência das Cidades’ (REGIC). Os quatro estudos REGIC não apresentam muitas alterações na classificação hierárquica da rede urbana do Rio Grande do Norte. Natal continua no principal nível hierárquico como capital regional A, Mossoró continua em segundo lugar na hierarquia como capital regional, só que no nível C. Em termos dos centros sub-regionais, Pau dos Ferros ascende a centro sub-regional A e Açu passa a centro sub-regional B, em 2007. A não concretização de uma política direcionada para o desenvolvimento regional que rompa com as disparidades regionais, herdadas do padrão de crescimento polarizado e concentrado, que marcou a economia e a política no Século XX, faz com que sejam reproduzidas mais desigualdade e pobreza, o que se reflete numa rede urbana fragmentada e esgarçada no Nordeste, especialmente no interior onde existem poucos centros médios, as capitais regionais, e diversos centros sub-regionais que tem atuado como cidades intermediárias, especialmente na oferta de serviços e na absorção de mão-de-obra

Texto completo:

Pdf


DOI: https://doi.org/10.33237/geotemas.v4i1.1208

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.


Indexadores e Bases Bibliográficas




https://dbh.nsd.uib.no/publiseringskanaler/erihplus/periodical/info.action?id=494578



Redes Sociais
 Academia.edu Facebook Instagram

Conteúdo Registrado (DOI)


Revista Associada


Apoio