PRODUÇÃO SOCIAL DO ESPAÇO URBANO E PRODUÇÃO DA DESIGUALDADE NA CIDADE

Michele de Sousa, Arthur Magon Whitacker

Resumo



Este artigo é parte de um trabalho dissertativo e tem como objetivo refletir sobre a produção do espaço urbano no capitalismo contemporâneo, evidenciando a relação com as formas e processos de diferenciação, desigualdade e fragmentação socioespaciais, segregação e autossegregação. Trata-se de uma reflexão teórica. Sendo assim, ao longo do texto destacam-se alguns pontos para discussão sobre o processo de produção do espaço urbano, tendo como ponto de partida a diferenciação e a desigualdade socioespaciais que podem se apronfundar em outros processos que são revelados nas formas e conteúdos das cidades e são engendrados por agentes públicos e privados no afã de atender as necessidades do capital. Além disso, buscou-se referencial que abordasse como esses processos podem ser apreendidos em diferentes níveis e escalas. Depreende-se que a produção da cidade é feita, pensada e planejada desigualmente. A materialidade dessa cidade, suas formas e estruturas, expressa tal desigualdade e condiciona em algum nível práticas espaciais. Logo, o produto faz-se tão desigual quanto a sociedade que o concebe.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.33237/geotemas.v8i1.2724

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.


Indexadores e Bases Bibliográficas




https://dbh.nsd.uib.no/publiseringskanaler/erihplus/periodical/info.action?id=494578



Redes Sociais
 Academia.edu Facebook Instagram

Conteúdo Registrado (DOI)


Revista Associada


Apoio