USO DE PLANTAS DA CAATINGA PELO POVO INDÍGENA PANKARARU NO ESTADO DE PERNAMBUCO, BRASIL

Fabio Rossano Dario

Resumo


Neste estudo de etnobotânica realizado em territórios indígenas Pankararu, localizados no interior do estado de Pernambuco, Brasil, constatou-se, através de entrevistas, a utilização de 87 espécies vegetais e duas liquênicas, sendo a maioria de ocorrência natural do bioma Caatinga e outras introduzidas para diversas finalidades, como medicinal, alimento, artesanato, lenha, utensílios e construções em geral. O objetivo deste estudo foi realizar um levantamento do conhecimento que os Pankararu possuem sobre a vegetação existente nos seus territórios. O conhecimento das plantas e a relação do homem com a natureza não são passados e nem aprendidos de maneira sistemática e formal entre estes indígenas e são poucos os detentores destes conhecimentos. A grande variedade de espécies vegetais registradas demonstrou que o uso das plantas é bem abrangente. Calculou-se o Índice de Significado Cultural de cada planta. As espécies de maior significado cultural são na maioria nativas, geralmente de uso medicinal para diferentes tratamentos, como Neoglaziovia variegata, Caesalpinia pyramidalis, Spondias tuberosa, Baccharis sylvestris, Commiphora leptophloeos, Syagrus coronata, Aspidosperma pyrifolium, Hyptis pectinata, Lippia macrophylla, Jatropha pohliana, Pithecellobium avaremotemo e Sideroxylon obtusifolium, demonstrando a importância das espécies vegetais da Caatinga na sobrevivência cultural e ecológica dos Pankararu.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.33237/geotemas.v8i1.3004

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.


Indexadores e Bases Bibliográficas




https://dbh.nsd.uib.no/publiseringskanaler/erihplus/periodical/info.action?id=494578



Redes Sociais
 Academia.edu Facebook Instagram

Conteúdo Registrado (DOI)


Revista Associada


Apoio