O COMÉRCIO INFORMAL, POLÍTICAS PÚBLICAS E TERRITÓRIO URBANO MOSSOROENSE

Moacir Vieira da Silva, Josélia Carvalho de Araújo, Rita de Cássia da Conceição Gomes, Fábio Ricardo Silva Beserra

Resumo


Consiste num estudo de cunho teórico e empírico que objetiva analisar a relação conflituosa entre o Estado e os comerciantes informais – os camelôs – na cidade de Mossoró (Rio Grande do Norte), tomando por base a discussão do conceito de território, enquanto espaço apropriado a partir de relações de poder, e a relação entre as políticas públicas e sua contribuição para a configuração do território. Constata que a atividade comercial informal tem se apropriado dos espaços públicos do centro urbano em tela, contrapondo-se a leis e normas urbanísticas vigentes. Essa apropriação ilegal tem sido a força motriz e impulsora dos conflitos ocorridos entre o Estado e os camelôs na urbe mossoroense. Aponta que não é apenas essa dinâmica que alimenta esse impasse Estado x Camelôs, havendo outras forças e jogos de interesses envolvidos nesse processo - que sobrepuja o cumprimento (ou não) das regras urbanísticas. Resulta de um estudo desenvolvido por meio da leitura de materiais teórico-conceituais, que abordam a discussão de território e de políticas públicas, bem como documentos oficiais normativos, os quais se fizeram o aporte teórico para a análise da realidade do território urbano mossoroense, através de pesquisa de campo em seu núcleo urbano (observação da dinâmica citadina).

Palavras-chave: Comércio Informal. Políticas Públicas. Território Urbano. Mossoró.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.33237/geotemas.v8i3.3234

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.


Indexadores e Bases Bibliográficas




https://dbh.nsd.uib.no/publiseringskanaler/erihplus/periodical/info.action?id=494578



Redes Sociais
 Academia.edu Facebook Instagram

Conteúdo Registrado (DOI)


Revista Associada


Apoio