ESTIMATIVA DO POTENCIAL NATURAL DE EROSÃO DOS SOLOS NA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO LONGÁ, PIAUÍ, BRASIL

Reurysson Chagas de Sousa Morais, Antonio James Oliveira Silva

Resumo


O objetivo desta pesquisa foi estimar o Potencial Natural de Erosão dos solos da bacia hidrográfica do rio Longá, localizada no norte do estado do Piauí. Considerou-se os três parâmetros físicos da Equação Universal de Perdas de Solo: erosividade da chuva, erodibilidade dos solos e fator topográfico. A erosividade foi calculada a partir da série histórica de dados de precipitação estimada por satélite. Realizou-se o cálculo da erodibilidade com aplicação de equações empíricas utilizando dados de amostras de solos disponibilizadas pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. O fator topográfico foi obtido por meio da programa LS-TOOLS, utilizando um modelo digital de elevação. Conclui-se que a bacia apresenta baixo potencial natural de erosão, com 72% de sua área com estimativa de erosão inferior a 200 t ha-¹ ano-¹. As regiões com alto potencial erosivo (PNE > 800 t ha-¹ ano-¹) encontram-se nos setores nordeste e sudeste da bacia e estão associadas a relevo declivoso. Os resultados identificaram o fator topográfico como o parâmetro de maior influência na ocorrência de processos erosivos na bacia

Palavras-chave


Erodibilidade; Erosividade; Fator topográfico; Rio Longá.

Texto completo:

PDF

Referências


ABREU, L. P.; MUTTI, P. R.; LIMA, K. C. Variabilidade espacial e temporal da precipitação na bacia hidrográfica do Rio Parnaíba, Nordeste do Brasil. Revista Brasileira de Meio Ambiente, [S. l.], v. 7, n. 2, Edição Especial – VI SIMGEAPI, p. 82–97, 2019. Disponível em: . Acesso em: 19 jun. 2020.

ACCIOLY, L. J. O. et al. Estimativa do Potencial Natural de Erosão das Terras da Bacia do Rio Ipojuca-PE. XVIII Reunião Brasileira de Manejo e Conservação do Solo e da Água, Teresina, 2010. Anais... Teresina: Embrapa Meio Norte, 2010. Disponível em: . Acesso em: 6 jun. 2020.

ANDRADE JÚNIOR, A. S. et al. Classificação climática e regionalização do semi-árido do Estado do Piauí sob cenários pluviométricos distintos. Revista Ciência Agronômica, Fortaleza, CE, v. 36, n. 2, p. 143–151, 2005.

ALMEIDA, E. P. C. et al. Planossolos háplicos. Brasília: Agência Embrapa de Informação Tecnológica, 2020. Disponível em: . Acesso em: 10 jun. 2020.

ALVES, A.; SOUZA, F.J.; MARQUES, M. Avaliação do potencial à erosão dos solos: uma análise comparativa entre Lógica Fuzzy e o Método USLE. In: XII Simpósio Brasileiro de Sensoriamento Remoto, Goiânia. Anais... Goiânia. INPE, 2005. p. 2011-1018. Disponível em: . Acesso em: Acesso em: 6 jun. 2020

BASTOS, C. A. B. (1999). Estudo geotécnico sobre a erodibilidade de solos residuais não saturados. 1999. 303 fl. Tese (Doutorado em Engenharia Civil). Programa de Pós-graduação em Engenharia Civil da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre. 1999.

BERTOL, et al. Propriedades físicas do solo sob preparo convencional e semeadura direta em rotação e sucessão de culturas, comparadas às do campo nativo. Revista Brasileira de Ciência do Solo, Viçosa, v. 28, n. 1, p. 155-163, jan./mar. 2004. Acesso em: 8 de jan. 2019. Disponível em: . Acesso em: 10 jun. 2020.

BERTONI, J.; LOMBARDI NETO, F. Conservação do solo. 9. ed. São Paulo: Ícone, 2014.

CAVALCANTE, T. D. M.; Área de preservação permanente e erosão do solo, em bacia hidrográfica de manancial urbano. Estudo do caso do Ribeirão do Feijão, São Carlos - SP. 2013. 92 fls. Dissertação (Mestrado em Meio Ambiente e Recursos Hídricos). Núcleo de Estudo Ambientais, Planejamento Territorial e Geomática – NEPA. Universidade Federal de Itajubá, Itajubá, 2013.

COGO, N. P.; LEVIEN, R.; SCHWARZ, A. R. Perdas de solo e água por erosão hídrica influenciadas por métodos de preparo, classes de declive e níveis de fertilidade do solo. Revista Brasileira de Ciências do Solo, Porto Alegre, v. 27, p.743-753, 2003. Disponível em: . Acesso em: 3 jun. 2020.

CORREA, E. A.; PINTO, S. A. F. Avaliação do potencial natural de erosão da bacia hidrográfica do córrego monjolo grande (Ipeúna-SP). Revista Geonorte, v.2, p.1356 - 1367, 2012. Disponível em: . Acesso em: 6 jun. 2020.

COSTA, A. L. C. Estudo da vulnerabilidade à erosão com a aplicação da equação universal de perda de solo na alta bacia hidrográfica do rio Jacaré Pepira, utilizando SIG/SPRING. 2005. 166 fl. Dissertação (Mestrado em Geociências). Universidade Estadual Paulista – UNESP, Rio Claro - SP, 2005.

DENARDIN, J. E. Erodibilidade de solo estimada por meio de parâmetros físicos e químicos.1990. 114 fl. Tese (Doutorado em Engenharia Agronômica). Universidade de São Paulo – USP, Piracicaba, 1990.

EDUARDO, E. N. Determinação da erodibilidade e do fator cobertura e manejo do solo sob condições de chuva natural e simulada. 2012. 47 fl. Dissertação. (Mestrado em Ciências). Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFRJ, Seropédica, 2012.

GUTH, P. L. Perdas de solo e água por erosão hídrica em sistemas de culturas oleaginosas. 2010. 83 fl. Dissertação (Mestrado em Ciências do Solo). Centro de Ciências Rurais - UFSM, Santa Maria – RS, 2010.

IBGE. INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFÍA E ESTATÍSTICA. Pedologia. Banco de dados de informações ambientais (Vesão 2.3.1). Rio de Janeiro: IBGE, 2020. Disponível em: . Acesso em: 17 jun. 2020.

IBGE. INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFÍA E ESTATÍSTICA. Pedologia. Disponível em: . Acesso em: 17 jun. 2020.

JAXA. JAPAN AEROSPACE EXPLORATION AGENCY. ALOS Global Digital Surface Model “ALOS World 3D - 30m” (AW3D30). 2016. Disponível em: . Acesso em: 5 jun. 2020.

LOMBARDI NETO, F.; MOLDENHAUER, W. C. Erosividade da chuva: sua distribuição e relação com as perdas de solo em campinas (SP). In: LOMBARDI NETO, F.; MOLDENHAUER, W. C. 3. ed. Conservação do Solo. Campinas, 1992. p. 189-196.

MACIEL, M. M. Aplicação da equação universal de perdas de solo (USLE) em ambiente de geoprocessamento e sua comparação com aptidão agrícola. 2000. Dissertação (Mestrado em Agronomia). Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2000.

MEDEIROS, W. M. V.; SILVA, C. E. ; LINS, R. P. M. Avaliação sazonal e espacial da qualidade das águas superficiais da bacia hidrográfica do rio Longá, Piauí, Brasil. Ambiente e Agua - An Interdisciplinary Journal of Applied Science, [S. l.], v. 13, n. 2, p. 1, 2018. Disponível em: . Acesso em: 19 jun. 2020.

MELLO, G.; BUENO. C. R. P.; PEREIRA.; G. T. Variabilidade espacial de perdas de solo, do potencial natural e risco de erosão em áreas intensamente cultivadas. Rev. ras. eng. agríc. ambient. Campina Grande. v.10 n. 2, 2006. Disponível em: . Acesso em: 8 jun. 2020.

MONTGOMETRY, D. R. Soil erosion and agricultural sustainability. Procedings of the National Academy of Sciences of the United States of América, v.104 (33), p. 13268–13272, ago, 2007. Disponível em: .Acesso em: 4 jun. 2020.

MORAIS, R. C. S. Estruturação de uma base de dados pluviométricos para a bacia hidrográfica do rio Parnaíba a partir de dados de sensoriamento remoto. In: I Simpósio Regional de Geoprocessamento, Teresina, 2019. Anais ... Teresina, 2018. Disponível em: . Acesso em: 20 ago. 2019.

MORAIS, R. C.; SALES, M. C. L. Estimativa do Potencial Natural de Erosão dos Solos da Bacia Hidrográfica do Alto Gurguéia, Piauí - Brasil, com uso de Sistema de Informação Geográfica. Caderno de Geografia, v. 27, n. 1, 2017. Disponível em: . Acesso em: 2 jun. 2020.

MORGAN, R. P. C. Soil Erosion e Conservacion. 3. ed. Blackwell Science Ltd., 2005. Disponível em: . Acesso em: 3 jun. 2020.

OLIVEIRA, J. A. et al. A GIS-Based Procedure for Automatically Calculating Soil Loss from the Universal Soil Loss Equation: GISus-M. Applied Engineering in Agriculture, [S. l.], v. 31, n. 6, p. 907–917, 2015. Disponível em: . Acesso em: 10 jun. 2020.

PASSOS, J. S. A. et al. Estimativa de perdas de solo na bacia do Alto São Francisco utilizando precipitação estimada por satélite. In: XI ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA DE SEDIMENTOS, 11, 2014, João Pessoa. Anais... João Pessoa: ABRH, 2014. Disponível em: . Acesso em: 10 jun. 2020.

RODRIGUES, G. O. et al. Estimativa da taxa de perda de solo por erosão hídrica na Mesorregião de Ribeirão Preto. In: 2015, João Pessoa, PB. Anais XVII Simpósio Brasileiro de Sensoriamento Remoto. João Pessoa, PB. Anais... João Pessoa, PB: INPE, 2015. p. 4852–4859. Disponível em: . Acesso em: 6 jun. 2020.

SANTOS, G. G.; GRIEBELER, N. P; OLIVEIRA, L. F. C. Chuvas intensas relacionadas à erosão hídrica. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, Campina Grande, v.14, n.2, p.115–123, ago. 2010. Disponível em: . Acesso em: 10 jun. 2020.

SILVA, A. M.; ALVARES, C. A.; WATANABE, C. H. Natural Potential for Erosion for Brazilian Territory. Soil Erosion Studies. 2011. Disponível em: . Acesso em: 6 jun. 2020.

SILVA, R. K. O.; AQUINO, C. M. S.; OLIVEIRA, J, G. B. Análise do risco de degradação da sub-bacia do alto curso do Rio Longá – Piauí. Revista OKARA: Geografia em debate, v. 10, n. 1, p. 23-44. João Pessoa – PB, 2016. Disponível em: . Acesso em: 10 jun. 2020.

SILVA, T. P. N. et al. Influência da erosividade da chuva na perda de solo. 2009, Recife-PE. Acesso em 2 de jan. 2019. Disponível em: . Acesso em: 6 jun. 2020.

WISCHMEIER, W. H.; SMITH, D. D. Prediciting rainfall erosion losses: a guide to conservation planning. Washington: USDA, 1978. 58 p. Disponível em: . Acesso em: 10 jun. 2020.

ZHANG, H. et al. Extension of a GIS procedure for calculating the RUSLE equation LS factor. Computers & Geosciences, [S. l.], v. 52, p. 177–188, 2013. Disponível em: . Acesso em: 4 jun. 2020.




DOI: https://doi.org/10.33237/geotemas.v10i2.4345

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.


Indexadores e Bases Bibliográficas




https://dbh.nsd.uib.no/publiseringskanaler/erihplus/periodical/info.action?id=494578



Redes Sociais
 Academia.edu Facebook Instagram

Conteúdo Registrado (DOI)


Revista Associada


Apoio