APLICAÇÃO DA CASCA DA LARANJA PARA A REMOÇÃO DE METAIS PESADOS: UMA REVISÃO

Wallas Douglas de Macêdo Souza

Resumo


A poluição dos recursos hídricos, principalmente, por metais pesados, gera impactos socioambientais e constitui-se como um motivo de preocupação mundial, tanto no que se refere a ascendente escassez deste recurso, e consequentemente, ao elevado custo energético e financeiro atrelado ao seu tratamento, quanto aos riscos gerados para a saúde dos seres vivos. Como alternativa, várias técnicas de tratamento têm sido propostas para a remoção de metais de águas naturais, com destaque para as tecnologias de adsorção. A utilização de biossorventes obtidos a partir da casca e do mesocarpo de diferentes frutos (laranja, banana, fibra de coco verde, entre outros), tem mostrado resultados bastante promissores. O presente trabalho apresenta uma revisão acerca da viabilidade da casca da laranja no processo de biossorção, por conta do alto potencial da biomassa não comestível deste fruto para o processo de tratamento de efluentes que contenham metais pesados. Em linhas gerais, estudos revelam que a casca da laranja pode ser utilizada em substituição ao carvão ativado comercial, que possui alto custo, mas que ainda é a técnica mais empregada para a remoção de metais em águas contaminadas. A modificação química da casca da laranja também tem mostrado excelentes resultados para a adsorção dos íons metálicos, porém estudos toxicológicos ainda necessitam ser realizados acerca dos riscos de contaminação com compostos secundários. A dessorção e regeneração dos biossorventes tornam o processo de biossorção economicamente viável, uma vez que pode recuperar os metais e reduzir a exploração das reservas.

Texto completo:

PDF