ESTUDO DA QUALIDADE DAS ÁGUAS PROCESSADAS EM FILTROS DE BARRO TRADICIONAIS CONTRAPONDO OS FILTROS MODERNOS

Caroline Vasconcelos Fernandes

Resumo


A maior parte da água disponível na Terra está concentrada nos oceanos e mares, perfazendo 97,5% do volume total. Entretanto, apenas 2,5% do volume total de água do planeta são doces, ressaltando que a maior parcela desta água (68,9%), forma as calotas polares, as geleiras e neves eternas que cobrem os cumes das altas montanhas da Terra. Á vista disso, a preocupação da sociedade pela água sempre foi constante e desde cedo o homem vem na incessante procura por possibilidades de tornar a água potável ao seu alcance, pois nessa pequena parcela, existe ainda uma menor destinada ao consumo. Para tanto, sistemas de filtração foram desenvolvidos a fim de solucionar essa questão, desde o filtro de barro, o mais antigo, aos modernos aparelhos purificadores. Nesse contexto, este trabalho tem como objetivo avaliar a qualidade das águas processadas entre filtro de barro tradicional e o filtro purificador acoplado a torneira, através de análises físico-químicas, segundo o padrão da Portaria Nº 2.914, de 12 de Dezembro de 2011, do Ministério da Saúde. Através da alcalinidade e dureza da água verificou-se que os dois aparelhos de  filtração são eficientes em manter a água dentro das especificações. Das análises do pH foi possível visualizar uma notável diferença entre as águas processadas no filtro de barro e filtro acoplado a torneira, inferindo que nem sempre os sistemas modernos de filtração são mais apropriados.

Texto completo:

PDF