Revista Química: ciência, tecnologia e sociedade, Vol. 5, No 1 (2016)

Tamanho da fonte:  Menor  Médio  Maior

TRATAMENTO DE EFLUENTES DA INDÚSTRIA PETROQUÍMICA USANDO Ti/Ru0,34 Ti0,66O2

Crislânia Carla de Oliveira Morais

Resumo


A oxidação eletroquímica é uma alternativa promissora para o tratamento de matrizes complexas, como é o caso da água produzida (AP). Assim, o objetivo deste trabalho foi avaliar o desempenho do ânodo de Ti/Ru0,34Ti0,66O2no tratamento eletroquímico de efluentes reais da indústria de produção de petróleo (AP doce, salobra e salina). Para todas as matrizes foram avaliadas três densidades de corrente (10, 20 e 30 mA cm-2) à temperatura ambiente (25 ± 1 °C); para acompanhar o processo de degradação foi utilizado a demanda química de oxigênio (DQO), que foi medida a cada 30 minutos de eletrólise; o pH foi registrado antes e após as eletrólises. O processo foi dependente da densidade de corrente aplicada e da matriz do efluente, que apresentou diferentes concentrações de cloreto e DQO. A maior remoção de carga orgânica foi obtida no tratamento da AP salobra, cuja remoção foi de 100% após 120 minutos de eletrólise em 30 mA cm-2, com um consumo energético de 13,77 kWh dm-3;para a AP doce, a remoção média foi de 96% quando foi aplicada a densidade de corrente de 20 mA cm-2durante 240 minutos de eletrólise, consumindo 83,95 kWh dm-3de energia; e para a AP salina, a remoção foi de 70%, tendo sido obtida após 10 horas de eletrólise na densidade de corrente de 30 mA cm-2(50,68 kWh dm-3). As diferentes concentrações de Cl-presentes nos efluentes promoveram a eletrogeração de espécies de cloro ativo (oxidantes fortes), favorecendo a eficiência do tratamento.  A  eficiência e a rapidez da oxidação eletroquímica estimulam a sua aplicabilidade como uma alternativa no tratamento das águas de produção de petróleo.

Texto Completo: PDF

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0.