LEVANTANTAMENTO QUALIQUANTITATIVO DOS RESÍDUOS QUÍMICOS PERIGOSOS GERADOS NAS AULAS PRÁTICAS DE QUÍMICA ORGÂNICA DA UERN

Alzineide Maria Pereira de Lima, Luiz Di Souza, Luiz Gonzaga de Oliveira Matias, Adriana Paula Batista dos Santos, Williane Simões Dantas, Francisco Rodrigo Silva, Simone Alves Serafim Rocha

Resumo


O trabalho aborda a problema da identificação e quantificação dos produtos químicos perigosos armazenados nas universidades devido ao uso de materiais, substâncias e misturas de substancias perigosas nas atividades de ensino, pesquisa e extensão. Sabe-se que é necessário identificar e armazenar adequadamente todos os produtos químicos e os resíduos produzidos no seu uso. Normas de segurança para uso, tratamento, armazenamento e descarte apropriado são previstas na legislação e tem que ser obedecidas, para evitar que os mesmos ocasionem riscos de contaminação e comprometimento do meio ambiente e da saúde humana. Na UERN já existe a concepção por parte dos professores, técnicos e alunos da real necessidade do gerenciamento dos seus resíduos e da necessária evolução dos processos para o seu controle. Diante desse contexto, os produtos químicos perigosos que fazem parte das aulas experimentais das disciplinas de química orgânica do curso de licenciatura em química realizadas no laboratório de química orgânica foram identificados e quantificados visando desenvolver procedimentos adequados para o seu armazenamento e descarte. Os resultados mostraram no aspecto qualitativo que nos treze (13) experimentos selecionados e realizados durante 12 meses de curso ocorre à utilização de quarenta e uma (41) substâncias perigosas de várias funções químicas como: Hidrocarbonetos, Haletos de alquila, alcoóis, cetonas, éteres, aminas, ácidos, bases, entre outros. No aspecto quantitativo encontrou-se que as substancias liquidas totalizaram aproximadamente 91 L e as substâncias sólidas 500 g, quantidades que comprovam a necessidade do gerenciamento mais cuidadoso, especialmente por que várias das substancias identificadas são classificadas como tóxicas ou muito perigosas.

Texto completo:

PDF