LUTAS NA EDUCAÇÃO FÍSICA ESCOLAR: REFLEXÕES SOBRE A AÇÃO DO PROFESSOR

Francisco Vieira de Oliveira, Marcos Cesar Ribeiro da Silva, Dimas Anaximandro da Rocha Morgan

Resumo


Para começo de nossa reflexão, a violência é, para fins de construção deste artigo, entendida a partir do sentido dado por Abramovay (2002), portanto, como um fenômeno social, que vem se alastrando desde as mais remotas épocas da constituição do nosso país, abrangendo, inclusive as chamadas guerras justas, aquelas proclamadas contra os indígenas que não se convertiam a religião cristã, o que “justificaria” o massacre dessa população. Na lógica apontada pelo autor, é necessário compreender a violência em um sentido amplo e que está disseminado na realidade, deste modo, como uma ação atinge “populações inteiras, seja em âmbito global ou localmente, no público e no privado” (p.13). Partindo dessa compreensão, procurou-se abordar o conteúdo lutas em uma escola da rede pública de ensino, abordagem essa que é resultado de parte das ações pedagógicas do Subprojeto de Educação Física do PIBID (Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência), da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte-UERN - Campus Avançado profª Maria Elisa de Albuquerque Maia –CAMEAM – Pau dos Ferros – RN, que tem como temática a suplantação de uma prática tradicional de ensino na Educação Física escolar. A intenção era possibilitar a construção de reflexões pelos alunos, a partir da implementação, na Escola Estadual Tarcísio Maia, do munícipio de Pau dos Ferros-RN, dos projetos Projeto Capoeira e a Valorização Da Cultura Afro-brasileira; Projeto Lutas versus violência. No trabalho que aqui é colocado em relevo, apresentamos um recorte, no qual visamos discorrer como a ação do professor deve se materializar para permitir a formação de uma consciência reflexiva nos alunos.Palavras-chave: Lutas. Educação Física escolar. Ação docente.

Texto completo:

PDF